Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


 

Este foi um dos temas mais falados em 2007 por toda a contestação de horário e de professores, e que devido a um trabalho de uma das minhas disciplinas, do meu curso ela me pediu para falar sobre a conclusão do secundário, e que por acaso deu-me gosto em escrever sobre isso.

Espero que gostem deste texto porque fala de coisas que ainda hoje se fala e que é necessário reformular o ensino em Portugal.

Aqui deixo-vos o texto:

 

Nos tempos que decorrem, é cada vez mais importante a conclusão do ensino secundário, não só em termos sociais mas também para uma melhor qualificação Professional.

            É necessário os jovens terem maior formação, pois o mercado é muito competitivo, e com o desenvolvimento de novas tecnologias, irá abrir novas empresas especializadas, requerendo pessoal qualificado para o trabalho.

            Sendo Portugal, um dos países com maior taxa de insucesso escolar, têm-se criado medidas de forma a abranger todo o tipo de jovens, desde deficientes a jovens que percam o interesse pela escola.

            Uma das medidas de combate ao insucesso escolar foi a criação dos cursos CEF (Curso de Educação e Formação) que permite aos jovens que tem maiores dificuldades de aprendizagem a especializarem-se numa determinada área Professional, e de certa forma a combater o insucesso escolar de alguns jovens que já tiveram um aproveitamento até ao 11ºano mas que faltam algumas disciplinas de 12ºano (que é o meu caso).

            O curso que eu frequento tem a duração de um ano e que se no final correr tudo bem, terei o 12ºano a nível europeu e sem fazer exames nacionais e um certificado de habilitações como técnico de análises laboratoriais.

            Na grande parte da U.E os requisitos mínimos de escolaridade é o secundário. Uma percentagem significativa é licenciado e que apesar de puderem estar ou não empregados, já atingiram dois dos muitos objectivos: acabaram o seu secundário e depois a universidade.

            O Governo deverá continuar a investir na educação e formação de jovens profissionais, pois apesar de eles terem uma grande parte da culpa do insucesso, mas nós alunos também deveríamos pensar em maneiras de aproveitar o estudo e vocacionarmo-nos para a área na qual temos maior vocação.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D