.sobre o tasco

.Novembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.pesquisar

 

.ultimas tretas

. Parede...

.tretas arquivadas

. Novembro 2015

. Julho 2011

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds

Terça-feira, 11 de Março de 2008

Parede...



 Não costuma ser normal vir fazer post's sobre mim ou sobre situações da minha vida, mas sinto-me num beco sem saída. Beco este que dia pós dia fica mais escuro, procuro saídas de emergência e não as encontro.
 Vi uma luz num caminho, e decidi perseguir essa luz. Começo a correr, mas o cansaço aparece e começo a caminhar lentamente em direcção a essa luz. Passado algum tempo bato com a cabeça numa enorme parede feita de tijolo. Começo  a observar bem a parede e deparo-me abismado com imagens grafitadas de momentos da minha vida. Vejo amigos, uns com grandes sorrisos outros com um olhar de malvadez. Vejo noutro canto o meu passado, os momentos de estudante que me alegraram tanto e que acho que podia ter feito mais e melhor.  "amigas" e exes mais uma vez umas a sorrirem de contentes por me verem e por conversarem comigo e outras com um olhar de lado, um olhar demolidor, um "mau olhar". O trabalho também se encontra nesta parede incógnica, que por alguma razão me apareceu no caminho, vejo-me em frente do PC mergulhado em grandes montes de papéis, tentando respirar mas nunca chegando ao topo do monte. Outra imagem na parede é uma obra de DA VINCI o "Homem Vitruviano" mas este se encontra com a minha face, certamente referente a minha saude, equilibrada mas um bocado desfocada...Dasss que coisa estranha.
Todas estas imagens se encontram numa parede mal empilhada, mas sólida não mostrando quebras. Tento o trepar mas é demasiado alto para saltar, impossível o derrubar tento o contornar mas este parece não ter fim. Dia após dia me desmoralizo mais, não vejo soluções para passar, as imagens entram-me na cabeça como se fosse pedradas, obrigando a encolher-me e a proteger-me com as mãos. Perco a noção do tempo e da realidade. Mas levanto-me e encho-me de força e sei que sou capaz de ultrapassar esta grande barreira que cada fez fica maior...  Mas as soluções não aparecem, continuo a fazer frente ao bombardeamento das imagens defendo-me como posso, mas não sabendo como as deitar abaixo...

Minha questão. Para ultrapassar esta barreira o que fazer?!

P.S.  - Não me meto em drogas.. hehehe


sinto-me: LOST
servido por sigacafe às 02:53

link do post | comentar | ver comentários (20) | favorito

.Cervejas aconselháveis